Hoje o Brasil teve gente com pouca memória e gente assustada com aquilo que já era previsto há meses acontecendo.


Dori de direita 

Antes de pedir o apoio da oposição para aprovar as reformas que o governo Bolsonaro pretende passar, Onyx Lorenzoni deveria lembrar como o seu presidente tratou os partidos não alinhados com a sua ideologia nos últimos anos. Aliás, o ministro da Casa Civil deveria, primeiro, lembrar que nos seus dias no Congresso, o ex-deputado juntou coro com petistas e fez exatamente o oposto. 

Lorenzoni pode até conseguir o apoio da oposição, mas para derrubar as propostas liberais de Bolsonaro, assim como ele fez com as reformas liberais de Temer. 

Pretends-to-be-shocked.jpeg 

Quem está chocado com o nível dos novos ministros e as suas posições deveria me responder: vocês esperavam algo melhor? Mesmo? 

O novo chanceler, assim como a ministra da Mulher, da Família e de Direitos Humanos, são a cara do novo governo e estão alinhados com tudo o que Bolsonaro defendeu e prometeu defender. Assim como o novo ministro da Educação, todos pretendem combater inimigos que não existem e promover visões de mundo que, bem, todo mundo sabia que seriam alinhadas com as posturas desse governo. 

Uma boa dica para quem pretende passar os próximos quatro anos na oposição: direcione as suas atenções para aquilo que realmente afasta Bolsonaro de sua base. 

Newsflash: o brasileiro é horrível, e, em geral, apoia tudo isso que está aí. 

É totalmente válido apontar que os novos ministros são tão reacionários quando o papa João Paulo II, mas eles estão lá por serem exatamente assim. E é também por ser assim que Bolsonaro chegou ao poder. 

Quem não apoia essas posturas, já não votou nele em 2018 e não votará em 2022. Direcione o seu foco para assuntos como a reforma da previdência e a segurança pública, não adianta tentar desidratar um presidente que está fazendo exatamente aquilo que o seu eleitor pediu. 

Todos os posts da série estão disponíveis aqui.

Publicado por guilhermehmds

Guilherme gosta de História, de discutir, de estudar, de Formula 1 e de batata. Guilherme adora uma batata.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *