A Nova Era ainda não se corrompe como a Velha Era, mas certamente copia os métodos políticos dela


RT @google: É mesmo? Foda-se.

Uma pesquisa da Rock Health revelou que apenas 11% dos entrevistados se sentiam confortáveis em entregar dados de saúde para grandes companhias, como o Facebook e a Amazon. O blog fica feliz em saber que o jovem, finalmente, se preocupa com a sua privacidade (após entregar todo tipo de informação em troca de uma simulação de como ele ficaria aos 70 anos, postar nudes de forma não anônima no Twitter e dizer em quais cantos da cidade ele andou enfiando a cara na bunda alheia no Instagram).

O próximo passo é notar que as grandes empresas não precisam de permissão direta para acessar seus dados e saber quando ele pegou uma DST. Basta comprar o acesso ao banco de dados do MyFitnessPal. 

Corrupção de rico 

Finalmente 2019 trouxe a nossa primeira corrupção de rico. Um escândalo em que dá gosto de ser roubado pelos nossos agentes políticos. 

Segundo a operação, o intermediário político do PSDB, Paulo Preto, preso na manhã de terça-feira (19), movimentou mais de R$ 130 milhões de reais na Suíça. Enquanto auxiliava o Departamento de Operações Especiais da Odebrecht a lavar dinheiro, Preto manteve um bunker com mais de R$ 100 milhões em dinheiro vivo. Uma quantia tão alta que precisava ficar pendurada em varais para não acumular bolor e se manter, digamos, limpinha. 

Espero que a verba desviada tenha servido para comprar um terninho de alfaiataria e uma bonita casa de praia. Sítio em Atibaia, franquia de loja de chocolate e triplex no litoral paulista estão muito fora de moda. 

Imbecilidade básica 

Ideias imbecis são o vestido preto do governo Bolsonaro: nunca saem de moda. 

Sem que ninguém pedisse, os bolsokids estão trabalhando para refundar a UDN. Só devem tomar cuidado para não repetir em demasia o passado. Da última vez que a UDN apoiou um presidente, não precisamos de muito para termos um Golpe Militar. Eu não estou pronto para ter o blog censurado.

Já o ministro da educação enviou um e-mail a todas as escolas do país pedindo para que o hino nacional seja tocado antes das aulas. Como se o absurdo já não bastasse, também solicitou que as crianças fossem gravadas, e tudo isso usando o slogan da campanha de Bolsonaro como assinatura. 

Se o plano do ministro é acabar com a educação nacional, ele terá sucesso. O horário em que os estudantes ficam em sala de aula prestando alguma atenção aos conteúdos já não é muito grande. Reduzi-lo, ainda mais, obrigando um bando de catarrento a cantar o hino, não me parece uma forma de melhorar os nossos indicadores de qualidade. 

[UPDATE: o ministro refez as suas palavras. Segundo Vélez, o pedido, agora, é que as crianças sejam filmadas apenas com a autorização dos pais. E nada de slogan de campanha dessa vez. O blog mantém a posição.]

Para aproveitar o sentimento saudosista dos nossos governantes, o próximo texto do blog será entregue por carta. Fique atento, internauta, pois 1964 vem com tudo.

Um novo padre para uma igreja decadente 

Na última sexta-feira (22), o rapper R. Kelly foi indiciado, após dez acusações de abuso sexual. Em Roma, o papa Francisco afirmou que o cantor não tem relações com a Igreja. Ainda.

Fontes não negam e nem confirmam que a instituição já pensa em chamá-lo para ser Bispo em alguma diocese no interior dos Estados Unidos. Além de um bom currículo, o artista ajudaria a Igreja a ter um corpo de clérigos etnicamente diverso.

Pessoas inteligentes merecem métodos inteligentes 

Ainda sobre a instituição com a maior concentração de homens vestindo saia do planeta: o papa Francisco prometeu, em um encontro no Vaticano, uma “batalha total” contra abusos sexuais. A Igreja pretende chamar de menor todos os jovens com idade de 14 anos, além de assegurar a criação de novas diretrizes para a prevenção de abusos. 

Eis uma ideia inovadora: ligue para a polícia quando um padre for denunciado. É mais prático e exige apenas o aperto de três teclas no seu telefone.

Raul_Seixas-Vai_Cair.mp3 

Apesar de todos que tinham algum senso tentarem impedir, o agora ex-ministro, Gustavo Bebianno, finalmente caiu. A seus aliados, Bebbiano disse que precisa “pedir desculpas ao Brasil por ter viabilizado a candidatura do Bolsonaro”

O ministro exonerado com mais agilidade desde 1990, em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, respondeu uma série de perguntas feitas por Felipe Moura e Augusto Nunes. Nenhuma delas sobre o hospital em que o advogado esteve internado em coma ao longo das últimas três décadas, já que só isso explica o fato de ele não ter notado que Bolsonaro não tem o preparo necessário para mandar nem na própria família.

O Whatsapp e o Twitter te elegeram, mas não governarão por você 

Jair Bolsonaro reclama regularmente que a imprensa não diz o quão bom presidente ele é. O presidente, obviamente, se esqueceu que o trabalho dos jornalistas é contar a verdade.

Chegou a hora de Bolsonaro começar a governar o Brasil e parar de viver na sua realidade paralela. Ele não é Alice no País das Maravilhas para tomar decisões como se estivesse em uma longa viagem de ácido. 

A crise da última semana foi um ótimo exemplo: o governo está institucionalizando o Severino-Cavalcantismo como método de comando, enquanto um bando de políticos do baixo clero fica correndo pelos corredores do Planalto, tentando entender como o Brasil funciona. 

A derrota na Câmara foi um bom alerta. Lidar com os deputados como se eles fossem robôs de Whatsapp pode não ser uma boa ideia, especialmente depois de mostrar que os seus pirralhos podem demitir qualquer ministro, mesmo que ele seja o responsável pela articulação política dos dois maiores projetos mais importantes a serem votados. 

Jair Bolsonaro está mostrando, a cada dia, a pessoa completamente despreparada que é. Desde que resolveu ser presidente, Bolsonaro mostrou que não sabe de economia, não compreende as medidas de segurança digital necessárias para o seu cargo, desconhece como uma boa decisão política é tomada e tem dificuldades até para ler um teleprompter. Em mais seis meses, até o mais fanático dos direitistas estará sentindo falta dos anos Lula. 


Todos os posts da série estão disponíveis aqui.

(com a revisão da @fogeluana)

Publicado por guilhermehmds

Guilherme gosta de História, de discutir, de estudar, de Formula 1 e de batata. Guilherme adora uma batata.

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *