Corrupção, compra superfaturada, escárnio e falta de vergonha na cara.

Tudo isso e muito mais no resumo da semana 172 do governo Bolsonaro.


The following takes place between apr-12 and apr-18


Funcionário do mês

A Advocacia-Geral da União solicitou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o arquivamento de uma investigação contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por suspeita de favorecimento a pastores do Ministério da Educação. Apesar de termos um áudio com o então ministro Milton Ribeiro afirmando a prefeitos que atuava em situação análoga a crime a pedido de Bolsonaro, a AGU acredita que o presidente deve ficar de fora de qualquer inquérito. Tão normal quando as 35 visitas dos pastores ao Planalto.

Fogo amigo?

Enquanto isso, o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub, deu uma entrevista afirmando que a ida do centrão para o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) aconteceu a pedido do presidente. “Você vai entregar o FNDE pro centrão”, disse o ex-ministro ao referir-se a Bolsonaro. O menino de Ciro Nogueira, Marcelo Lopes da Ponte, ganhou a presidência do fundo em junho de 2020.

Fogo amigo!

Já Lopes da Ponte, em depoimento à Controladoria-Geral da União (CGU), jogou a bomba na mão do pastor Arilton de Moura. Segundo ele, o lobista de Deus realizava insinuações sobre propinas sempre que estavam juntos. Ele só não disse se topou, ou não, ajudar o pastor.

Photo op

O governo Bolsonaro não só contou com o apoio de lobistas para liberar verbas, mas também direcionou recursos para escolas, creches e quadras que foram (e serão) construídas pela metade. Segundo a Folha de S. Paulo, 1.780 obras foram pactuadas com prefeituras, utilizando como base a intermediação de parlamentares aliados.

Assim que o deputado responsável pelo acordo conseguia o seu photo op, a transferência da verba era barrada (ou apenas uma parte dela era feita). Como consequência, R$ 431 milhões de reais ficaram travados enquanto aliados de Arthur Lira (PP-AL) compravam kits de robótica superfaturados. O escândalo faz a ação do centrão na Codevasf parecer um passeio no parque.

Narcogarimpo

Enquanto a Folha de S. Paulo publica texto de opinião mal escrito a favor do garimpo em terras indígenas, os Yanomami aparecem na mídia com motivos para essa prática ser abominada. Segundo relatório da Hutukara Associação Yanomami, feito com o apoio do Instituto Socioambiental, o narcotráfico já está explorando esse tipo de atividade ilegalmente e, naturalmente, levando violência para os moradores da reserva em que os Yanomami vivem. Nesse caso vale utilizar o eufemismo de “garimpo artesanal”?

Pequenas notas do Quinto dos Infernos

A semana da pandemia

A Anvisa abriu o processo de recebimento de pareceres médicos para fundamentar a resposta ao pedido do Instituto Butantan para a liberação da CoronaVac para crianças a partir de três anos. Hoje, a vacina só pode ser utilizada em crianças acima de seis anos. Se aprovada, a medida ajudará o país a acelerar, ainda mais, a redução do número de mortes no país.

Falando sobre o tema, o ministro da Saúde anunciou, em pronunciamento na noite do último domingo (17), o fim da emergência de saúde pública por conta da covid-19 no Brasil. A decisão foi tomada em função da ampla cobertura vacinal e a baixa lotação dos leitos do sistema público de saúde. Com a revogação, as recomendações e normas do governo federal adotadas em março de 2020 perderam validade.

Viagra forte, mão amiga

O sistema de saúde das Forças Armadas comprou, em 2020, 35 mil comprimidos de Viagra. Os militares se defenderam afirmando que o remédio era voltado para o tratamento de hipertensão arterial pulmonar. Até aí, tudo bem, mas há um detalhe: a doença é rara, mais comum em mulheres e a dosagem comprada é maior do que a recomendada para o tratamento da doença.

Recauchutada

As forças armadas também compraram próteses penianas para os militares. A informação foi obtida pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO). A compra custou R$ 3,5 milhões, um valor muito maior do que os R$ 546 mil utilizados entre 2018 e 2020 para a compra de Botox.

O que falta é cinismo

O Tribunal de Contas da União abriu investigação para avaliar se os comprimidos de Viagra foram superfaturados em até 143% ou não. O fato é que as Forças Armadas contam com um sistema de saúde próprio e plano de saúde interno para cuidar das demandas (todas elas) dos militares. Assim sendo, seria muito mais fácil a assessoria de imprensa do órgão utilizar o mesmo cinismo dos juízes do Superior Tribunal Militar e explicar as suas decisões de maneira franca.

Se os militares não tem vergonha dos crimes contra a humanidade que as forças armadas cometeram no passado, por qual motivo deveriam deixar de admitir que são brochas de pinto pequeno?


Todos os posts da série estão disponíveis aqui.

Este texto foi escrito pelo Guilherme e revisado com a ajuda da Ninna. Você também pode nos acompanhar no TikTok, no Twitter ou diretamente em sua caixa de entrada.

Publicado por guilhermehmds

Guilherme gosta de História, de discutir, de estudar, de Formula 1 e de batata. Guilherme adora uma batata.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *