O presidente mostrando o seu golpismo, as Forças Armadas mostrando a sua falta de vergonha na cara e as instituições institucionalizando.

Tudo isso e muito mais no resumo da semana #175 do governo Bolsonaro.


The following takes place between mai-02 and mai-09


Apazigua, meu amor, apazigua

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux realizou reuniões para tratar dos ataques de Bolsonaro ao sistema eleitoral e à Suprema Corte. Em uma tentativa de colocar panos quentes na boca de quem se comporta como pitbullFux se encontrou com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e o ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira.

Fux saiu dos encontros afirmando que o Senado está comprometido com a harmonia entre os três poderes (basta manter o Orçamento nas mãos do centrão) e que as Forças Armadas estão comprometidas com a democracia. Mas será mesmo?

Questão de coerência

O leitor bem informado se lembrará que os últimos ataques do presidente da República arrastaram o nome das Forças Armadas para um lugar que elas adoram ficar: o do golpismo. Dias atrás, por exemplo, o presidente Bolsonaro afirmou, em live, que representantes do braço armado do Estado deveriam apurar a contagem em uma sala paralela.

A resposta dos militares para esta fala feita para animar as tias golpistas de Copacabana? Reforçar o discurso do presidente.

Nos últimos oito mes/es, 88 questionamentos foram enviados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por militares. Todos os ofícios, sigilosos, foram assinados pelo general de Divisão do Exército Heber Garcia Portella, que participa da Comissão de Transparência do TSE.

Tapa de luva

resposta do TSE aos questionamentos e sugestões das Forças Armadas foi de dar gosto. O tribunal rejeitou as sugestões e afirmou, de um modo educado, que só tem imbecil nos quartéis brasileiros quando o assunto é eleição. Mas vamos combinar: não é como se os militares gostassem de ver civil escolhendo presidente para terem interesse em saber como as coisas funcionam, não é mesmo?

De todo modo, o TSE convidou os militares para participarem da Comissão de Transparência Eleitoral do tribunal. Não que eles mereçam estar lá. Mas também não poderão dizer que não foram chamados por falta de vontade.

Então tá

Enquanto a CIA (!) afirmava que não toleraria golpes (!!) no Brasil (!!!), Bolsonaro afirmou que realizará uma auditoria privada nas urnas. A medida terá como objetivo provar que não é possível auditar a eleição (é possível). O presidente também reafirmou que os militares “não vão fazer papel de cancelar apenas o processo eleitoral, participar como espectadores do mesmo”.

Alguém avisa o presidente que militar brasileiro só serve para sentir saudades do golpe no 31 de março, pintar meio fio de calçada e se aposentar ganhando bem.

Pequenas notas do Quinto dos Infernos

Encolheu

O governo Bolsonaro praticamente acabou com o processo de desapropriação de terras e assentamento de famílias no programa brasileiro de reforma agrária. O orçamento para a compra de terras foi reduzido a um lote grande na periferia de São Paulo (SP) — R$ 2,4 milhões, o menor em muitos anos. O governo optou por direcionar a sua atenção para a distribuição de títulos de propriedade a famílias já assentadas, uma operação muito mais econômica, rápida e propícia para grileiros.

Agora é oficial

Em clima de convenção partidária, a chapa Lula-Alckmin foi lançada no último sábado (07). O cenário contou com muito verde e amarelo e um discurso sem espaço para improviso. Lula pediu que os “democratas de todas as origens” se unissem contra o presidente, mas até agora ele só conseguiu apoio de parte da esquerda.

Prioridades

A Câmara aprovou, no último dia 04, urgência para um projeto do deputado Pastor Sargento Isidório (Avante-BA) que proíbe alterações na Bíblia. Isso dá à proposta a chance de ir ao Plenário sem que tenha que passar por comissões. Não sabemos, porém, qual das 50 versões lusófonas dos ensinamentos do Deus cristão serão proibidas de serem modificadas.

A redação recomenda que sejam bloqueadas todas ao mesmo tempo até que o Papa resolva criar a quinquagésima primeira.


Todos os posts da série estão disponíveis aqui.

Este texto foi escrito pelo Guilherme e revisado com a ajuda da Ninna. Você também pode nos acompanhar no TikTok, no Twitter ou diretamente em sua caixa de entrada.

Publicado por guilhermehmds

Guilherme gosta de História, de discutir, de estudar, de Formula 1 e de batata. Guilherme adora uma batata.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *